O que penso sobre: Dona Roliça

Depois que a gente entra nesse mundo de site/blog conhecemos pessoas no mesmo mundo. Pessoas que fazem seus blogs por diversão, querendo ganhar dinheiro, só pra se promover pessoalmente, como valvula de escape (álias, esse é um termo muito usado por blogueiros de blogs de sentimentos e textos). E em caminhando por entre essas razões dos outros blogueiros me perguntaram porque eu criei o meu.

Minha resposta naquele momento foi rápida, sem pensar, mas desde então eu penso diariamente "Por que eu criei a Dona Roliça?". Eu me vejo criando motivos infinitos pra ter criado tudo isso, mas acho que nunca fui tão sincera quanto serei agora. 

Dizer que foi só pra postar coisas legais é muito vago. Nem tudo que eu posto aqui é legal. Eu tenho senso crítico e sei ver que as vezes as coisas que faço não são tão boas quanto o que blogs e sites famosos fazem. 

Dizer que foi pra me auto afirmar, por mais verdadeiro que seja, não diz tudo que eu gostaria. Sim, eu criei também pra me auto afirmar. Pra conseguir dizer todos os dias pra mim mesma que ser gorda ou fora de padrões não faz de mim pior, nem menos bonita, nem menos legal do que nenhuma outra mulher. Eu luto diariamente comigo mesma também. Sou mulher como todas, peso sempre é um assunto que nos marca. Qual mulher nunca se olhou no espelho e se achou gorda demais pra uma roupa? Eu me acho, com frequência até. Precisava de um jeito de mudar o pensamento do mundo quanto a isso e consequentemente mudar o meu também.

E ai chegamos a fama. Se eu quero mudar o mundo, eu poderia dizer que minha vontade é ser famosa. Não! Eu não me sinto bem me espondo, não quero ser a blogueira da Dona Roliça, que é famosa e convidada pra coisas, uma Camila Coelho da vida. Isso não está e não estava em nenhum momento nos meus planos. Mas então como é que a gente atinge o mundo sem ser visto?

Dizer também que foi só por diversão seria pobre. Quantas pessoas se divertem com isso aqui? Quantas pessoas podem ler uma frase que posto no Facebook e resolver mudar de vida por isso? Temos que saber que o que expomos ao mundo será visto por alguém e pode ter consequências. 

Então junto tudo e chego a conclusão que meu objetivo sempre foi realmente atingir o mundo, mas um mundo paralelo. 

Quero ser sim conhecida, mas a Dona Roliça quer ser conhecida. Quero atingir o seu mundo. Aquele mundo de mulheres que se sentem pra baixo, como eu as vezes, por se sentir gorda. O mundo de mulheres que vão em uma loja comprar uma roupa, que você namorou pela vitrine dias, e ouvir a vendedora falar que não tem seu tamanho. O mundo daqueles que não seguem os padrões de um grupo e por isso são rejeitados, excluidos, julgados. Quero mostrar pro mundo inteiro que qualquer um pode ser o que quiser e ser feliz. Que tamanho não muda carater. Que cor não muda carater. Que aparencia não muda carater. Gritar com todas as letras que as pessoas não foram feitas em moldes, então por que a moda tem que ser? 

É, acho que essa é a minha intenção com o blog. Tudo junto. Tanto tudo, que talvez nem mesmo faça sentido. Mas, também as vezes faça tanto sentido que consiga mudar o mundo.

 

Então conto com você que se identificou com alguma parte desse texto pra fazer o mundo um lugar melhor, a responsabilidade de fazer isso é nossa. 

Beijinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *